O armário-cápsula da Gabi e a política do desapego

Found on whowhatwear.com
Foto encontrado no Pinterst. Fonte whowhatwear.com

Hoje eu decidi que não vou falar de polêmicas do facebook, em vez disso o tema será moda, um assunto que nunca abordo no blog, mas que gosto muito. Quero mostrar um projeto interessante para descobrir o seu estilo e ainda refletir sobre a maneira que lidamos com o consumo. Trata-se do Armário Cápsula, que a Gabi, do blog Teoria Criativa está colocando em prática.

A ideia é viver com um número limitado de roupas por estação, no caso dela, apenas 37 peças. Você já se imaginou vivendo com apenas 37 peças durante uma estação, contando com partes de cima, partes de baixo, vestidos, casacos e sapatos? Ela e algumas pessoas decidiram tentar por uma vida em que ‘menos é mais’.

O armário cápsula funciona mais ou menos assim, você escolhe um número de peças para viver durante três meses ou uma estação do ano. Normalmente, as pessoas que aderem ao projeto escolhem o número 37, mas esse número pode mudar de acordo com seu estilo de vida. Lembrando que objetivo é deixar a vida (e o guarda-roupa) mais simples, então não adianta nada escolher um número muito grande.

As roupas que não fizerem parte da seleção devem ser guardadas em uma caixa para usar na próxima estação, doadas ou vendidas. Durante três meses a pessoa não pode comprar nenhuma peça de roupa nova. Nesse tempo, ela junta dinheiro para as roupas da próxima estação. Quando for comprar é preciso pensar em composições que combinem com o estilo pessoal e as roupas que já estão no seu guarda-roupa. Ou seja, sem compras compulsivas.

A Gabi descobriu o projeto através da blogueira americana Caroline Rector, do Unfancy, e decidiu colocar em prática e compartilhar toda a experiência no seu blog. Nós acompanhamos cada passo dessa trajetória de auto-conhecimento. Para isso, ela também traduziu um planer que ajuda a pessoa a descobrir o seu estilo.

Caroline Rector, do Unfancy, idealizadora do capsule wardrobe.

O projeto é bem interessante e vale a pena dar uma olhada, se você quiser continuar acompanhando esse projeto (ou até mesmo participar) vai no Teoria Criativa. A Gabi até mesmo criou um grupo no facebook para quem quiser participar.

Eu achei a ideia muito legal e estou pensando em aderir, mas primeiro estou me acostumando com a mudança de estação, porque o clima em Belo Horizonte é bem diferente do Acre. Acho que o mais legal do armário cápsula é pensar a questão do consumo. Às vezes a gente fica acostumado a comprar por impulso, vai acumulando coisas, mas nós realmente precisamos de tudo isso?

Quando mudei para BH eu tive que deixar para trás coisas que eram muito importantes para mim, como minha coleção de livros, objetos pessoais, objetos de decoração que comprei para meu antigo apartamento. Ainda tenho muitas dessas coisas, guardadas na casa da minha mãe, mas após dois meses vivendo aqui percebi como me apegava a coisas que não estão fazendo a menor falta. Acho que a próxima vez que for em Rio Branco vou escolher o que realmente quero trazer para Belo Horizonte e o que é melhor apenas desapegar.

Anúncios