Gênios do Cinema: Orson Welles

Vi na internet que a Filmoteca Acreana está realizando até sexta-feira (25) uma mostra especial do Orson Welles. Achei uma máximo a programação porque recentemente tivemos na Escola Livre de Cinema duas aulas sobre o cineasta. Uma durante História do Cinema, em que aprendemos sobre o diretor e sua importância na sétima arte e outra apenas sobre o filme Cidadão Kane, na aula de Linguagens Cinematográficas.

Orson Welles é considerado um dos gênios do cinema, junto com outros nomes como D.W Griffith e Sergei Eisenstein. Nascido em 1915, foi considerado um jovem prodígio. Iniciou sua carreira no teatro e aos 22 anos já tinha criado sua própria companhia. Ficou famoso em 1938 após produzir uma rádio novela intitulada ‘Guerra dos Mundos’, que provocou pânico dos seus ouvintes ao falar de uma invasão alienígena imitando linguagem jornalística. Muitas pessoas realmente acreditaram que estava ocorrendo uma invasão extraterrestre. O sucesso da transmissão foi tão grande que Orson Welles foi convidado a trabalhar em Hollywood, onde produziu seu primeiro filme longa-metragem: Cidadão Kane.

Cidadão Kane é considerado um marco no cinema. O longa é inspirado na vida do grande magnata William Randolph Hearst, responsável por importantes jornais dos Estados Unidos. Por isso o filme, apesar de revolucionário, acabou sendo boicotado pelos meios de comunicação ligados ao magnata.

Cidadão Kane marcou a época devido às inovações na linguagem cinematográfica, sobretudo nas técnicas narrativas e nos enquadramentos cinematográficos. O filme começa com o protagonista já morto, mudando-se a cronologia dos fatos, algo até então nunca feito. Histórias não lineares ainda eram incomuns para a época. A cenografia mostra pela primeira vez o teto dos ambientes, isso fez com que os estúdios tivessem que criar novas técnicas de captação de som. Muitas de suas inovações foram incorporadas pela industria cinematográfica e são usadas até hoje.

Mesmo dirigindo outros filmes após Cidadão Kane, o diretor nunca mais conseguiu restabelecer sua fama a ponto de ser contratado novamente por um grande estúdio de Hollywood. Mesmo assim, seus outros filmes são tão interessantes quanto Cidadão Kane e alguns ajudaram a estabelecer o estilos dos filmes noir.

Outros filmes de grande importância do diretor foram: “Soberba” (1942), “Macbeth” (1948), “A Dama do Cine Shangai” (1947), “A Marca da Maldade” (1958) e o “Processo” (1962), sendo este último inspirado no livro de mesmo nome de Franz Kafka. Alguns deles estão sendo exibidos na mostra da Filmoteca, para ver a programação clica aqui.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s