Na minha vida tem cor (e no meu facebook também)

Eu queria mudar de assunto. Juro. Tô com uma lista de textos sobre música, filmes e livros para escrever, mas vocês não facilitam e vai ter texto, de novo, sobre a imagem colorida no facebook. É possível que esse texto seja mais raivoso do que gostaria, mas se teve uma coisa que eu aprendi com “Divertida Mente” é que todos os sentimentos têm igual importância e devemos respeitá-los.

Então, em respeito a minha raiva, aí vai:

Sexta-feira foi um dia lindo. Desde que os EUA permitiu o casamento igualitário, vi um monte de pessoas mudando a foto do facebook em comemoração. A palavra-chave está aí, comemoração. Não foi um protesto silêncioso, não foi uma imagem para lembrar a quantidade de pessoas que morrem por homofobia, foi apenas uma simples comemoração. Foi pela simbologia do ato.

Da mesma forma que algumas pessoas comemoram uma promoção, um novo emprego, um viagem de férias, etc. Existem vários motivos para se comemorar no facebook, muitas pessoas decidiram comemorar o casamento gay nos EUA. Comemorar não vai diminuir as mortes de homossexuais, mas a vida não pode ser feita olhando apenas o lado ruim. A comunidade LGBT leva porrada todos os dias, literalmente e figurativamente, então comemorar uma vitória entre tantas lutas revitaliza forças.

Desde que colori meu avatar passei por várias fase. A primeira foi linda, ver todo mundo se pintando e sendo feliz. Por horas, nenhum comentário fundamentalista. Acho que até esses estavam assustados com tanta imagem colorida brotando no facebook. Depois veio o contra ataque. Pessoas questionando o ato de comemorar, questionando a causa LGBT, dizendo que existem outras lutas mais importantes. Teve também gente que na verdade não apoia a causa gay, mas tava mudando a foto do facebook (e com isso a galera reclamando da ‘modinha’).

11665428_10203764362023410_4153831904489450594_nPor isso, minhas considerações raivosas:

1) Gente, na boa, não me venham dizer que existem lutas mais importantes que a causa LGBT quando não é você que tá sendo expulso de casa por ser gay ou precisa se preocupar se vai apanhar na rua se ficar de mãos dadas com seu namorado ou namorada. Se isso não acontece com você, ótimo, mas não diminua a dor do outro. Compaixão e empatia é para levar pra vida.

Desde que eu mudei a foto do meu facebook tive que ouvir amigos lamentando que queriam mudar a foto, mas não podiam porque se não teriam que lidar com uma briga dentro da família. Ouvi histórias de pessoas que peitaram essa briga e foram expulsos de casa. Ouvi histórias de pessoas que foram xingadas em seus próprios facebooks por deixar a vida mais colorida.

Essas histórias me atingem. Eu tenho uma família que me ama, me apoia e me protege. Que muda a foto do seu facebook junto comigo. Mas nem todos os meus amigos têm a mesma sorte que eu. Então, por eles, continuo colorida.

2) Uma amiga disse que em vez de estamos comemorando o casamento, deveriamos nos preocupar com as mortes e abandonos de homossexuais. Eu concordo, mas uma coisa não excluí a outra. Comemorar uma vitória não impede de continuar lutando.

Tem mais, acho que o casamento igualitário é o começo de tudo. Deve ser a primeira conquista da comunidade LGBT, antes mesmo da luta contra a homofobia. Não porque seja mais importante, mas porque é como tudo começou. A homofobia é uma reação, não a causa. É uma reação ao amor de todas as cores. Os homofóbicos reagem com violência quando os privilégios viram direitos. Quando as pessoas começam a demonstrar afeto em público. Quando o casamento é naturalizado. Temos sim que combater a homofobia, com muito fervor, com todas as nossas forças, mas ela só vai perder forças quando amor for naturalizado. Para naturalizar o amor, é preciso permitir, é preciso dar o direito das escolhas.

3) Cada um faz o que quer da sua vida, não é? Não. Uma pessoa LGBT não podem escolher livremente. A escolha delas vem com um peso extra: contrangimento, xingamentos, humilhações. Vocês, hetéros, podem fazer o que querem da vida de vocês. Nós, da comunidade LGBT, precisamos lutar, todos os dias pelo direito de escolha.

4) Também não me venha dizer quais causas eu preciso lutar. Eu sou militante LGBT, ambientalista, feminista, voluntária de adoção de animais, faço doações mensais para a UNICEF, todos os anos eu faço doação de roupas para famílias carentes. Eu não me limito a uma foto no facebook, se você ou seus amigos se limitam, não é a minha luta ou minha foto no facebook que deve ser questionada. Eu não espero ninguém me chamar para mudar o mundo, eu vou lá e faço. Do meu jeito, como posso, eu tento fazer do mundo um lugar melhor.

Desde que eu mudei a foto do facebook vi muita gente reclamando. A intenção era deixar a foto colorida por apenas um dia, mas eu gosto tanto de incomodar, que agora ela vai ficar por tempo indetermidado. Se continuarem reclamando, vou colorir outras fotos. Vocês podem ficam com suas vidas sem cor, de amor limitado e cheio de condições. Eu fico com a minha vida colorida, com amor livre e incondicional. No meu amor, ninguém vai colocar regras.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s