Por que devemos comemorar o casamento igualitário nos EUA?

Eu nem sabia que estava tendo a votação do casamento igualitário nos Estados Unidos da América. Em uma semana cheia de coisas para fazer, inscrita no Colóquio da UFMG e no curso de escrita criativa da FliBH, acabei ficando bem desligada das notícias. Então, fui pega de suspresa pela notícia. Estava em um restaurante bem simples, daqueles que vendem prato feito, no centro de BH entre uma atividade e outra, quando vi a Sandra Annenberg anunciar a decisão apertada, mas histórica, da Suprema Corte dos EUA.

Meus olhos se encheram de lágrimas ali mesmo, enquanto via emocionada os casais homossexuais comemorando a decisão. Logo, o Facebook disponibilizou a opção de deixar o avatar colorido e eu mudei o meu imediatamente. Mas por que, nós brasileiros, devemos comemorar essa decisão?

No Brasil, casais do mesmo sexo podem se casar desde 2013, devido uma decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). A senadora Marta Suplicy criou uma lei semelhante, garantindo a conversão de união estável entre pessoas do mesmo sexo em casamento civil. A proposta aguarda votação na CCJ desde 2012. Mas apesar disso, uma forte onda conservadora tenta tirar os poucos direitos igualitários que as duras penas conquistamos no Brasil, principalmente no congresso federal.

Nesse mês, a comunidade LGBT teve que lidar com o boicote ao Boticário, a retirada das referências de identidade de gênero, diversidade e orientação sexual em pelo menos oito Planos Estaduais de Educação, a polêmica e ameaças a transgênera que se crucificou na Parada Gay de São Paulo, entre muitos outras batalhas duras e difíceis. Em meio aos embates virtuais, a onda conservadora ficou ainda mais evidente.

O preconceito contra pessoas homossexuais ainda é muito forte no país. Gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transgêneros ainda apanham, são humilhados e expulsos de casa todos os dias. Por isso, uma vitória como essa deve ser comemorada. Apenas 20 países em todos o mundo (são mais de 130) aceitam o casamento igualitário. Mas ter uma grande potência como os Estados Unidos levantando essa bandeira deve, sim, ser comemorado. Entre tantas derrotas, uma vitória.

Na sexta-feira, o amor venceu. E nós vamos continuar levantando essa bandeira do amor em todas as sua cores. Mostrar apoio a causa, mesmo que mudando a imagem do seu avatar, é uma forma de dizer: A comunicada LGBT existe e eu apoio ela.

Foi lindo ver meus amigos héteros mudando também a sua foto de avatar, era muito amor na timeline, todos comemorando juntos por uma decisão que transformava em direito algo que antes era apenas privilégio de alguns. Se você achou feio, modinha ou sei lá o que… Eu só tenho uma pergunta:

Por que você é contra o amor?

Ame. Não pense, analise ou destile ódio. Apenas ame.

Se você é hetero, ame pessoas de um sexo diferente do seu. Mas ame também sua família, seus irmãos, seus primos, seus amigos e amigas, as pessoas que estão na sua vida e você quer bem. Ame as pessoas sem se importar com a cor, o sexo, a religião ou a orientação sexual. Ame ao próximo como ama a si mesmo.

Apenas ame. Não há nada de errado nisso.

A vida fica mais leve assim.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s